Publicado em 12.01.2018 - Entrevistas - Sem comentários

ingrid

Cursando o 1º semestre de MEDICINA na UFPR

* Entrei na Escola interativa em 1998 no Jardim III (antigo pré-escolar) e estudei até completar a 5ª série (2003), permaneci os seis primeiros anos escolares na Interativa, mas completei o ensino Fundamental cursando a 6ª série no Colégio Estadual Olindamir (2004) e 7ª e 8ª (2005, 2006) no Colégio Madre Clélia (Curitiba). Cursei o Ensino Médio na UTFPR – Técnico Integrado em segurança do Trabalho. Completei os quatro anos do curso técnico de 2007 a 2010. E um ano de cursinho pré-vestibular no Positivo.

* Prestei vestibular para medicina e consegui passar em cinco Universidades: FEPAR/ Faculdade Evangélica do Paraná, UFPR/ Universidade Federal do Paraná , UEL/Universidade Estadual de Londrina, UFSCAR/Universidade Federal de São Carlos (SP) , UFCSPA/Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (RS).

* Optei em cursar a UFPR porque é pública, e, apesar de haver instituições mais qualificadas, não há nada melhor do que poder cursar a faculdade perto da família, aqui em Curitiba mesmo. Escolhi o curso de medicina, pois ser médica era um sonho de infância e, mesmo tendo habilidades em outras áreas, quando pensava em outras profissões não conseguia pensar em nada que fosse me fazer sentir útil à sociedade tanto quanto a medicina. Meu objetivo é servir às pessoas, conquistar é claro meu patrimônio, mas acima de tudo trabalhar por quem precisa.

* A Escola Interativa me ensinou que não importa o tamanho da escola, o que interessa é o quanto você pode aproveitar das coisas que ela te oferece. Uma das melhores recordações da Escola Interativa foi quando interpretamos “Pinha, Pinhão, Pinheiro” no teatro, foi muito divertido, a qual eu me recordo com muito carinho. A mensagem que deixo para os alunos que ainda estudam na Interativa é a seguinte:

“A escola pra qual você vai todos os dias não é só a sua sala de aula, vá mais à biblioteca, participe do teatro, da dança, das aulas de arte e acima de tudo leia muito e quando achar que leu bastante, então leia mais! Só colhe os frutos no vestibular quem semeia em um campo bem sedimentado desde a base do ensino fundamental. E se por acaso você tropeçar, não passar de primeira ou reprovar… Sempre há tempo de se recuperar, não tenha medo de tentar de novo.”

Parabéns Ingrid pela sua conquista!